quarta-feira, 20 de julho de 2011

LAR DO ROSMANINHAL


O Lar da nossa Terra já começa a tomar forma, entre a Lagoa e o Forno da Telha começa a erguer-se uma obra com grande utilidade para o Rosmaninhal e para a Região.

O dinamismo da Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Rosmaninhal, Luísa Serejo está aqui bem demonstrado,  dinamismo esse que não se fica por esta obra da Santa Casa, o empreendimento privado no novo Hotel e o empreendimento de Turismo de Habitação em fase de construção no Vale Mosteiro são a prova de que comodismo e individualismo não são características desta nossa conterrânea. Parabéns e boa sorte à Família Serejo.

2 comentários:

Eddy Nelson disse...

muitas vezes falamos de desenvolvimento e de projectos para o interior e depois nada...aqui está um grande exemplo que contraria todas as lógicas. é um grande refresco para a terra...

Anónimo disse...

Parabéns, à senhora provedora pelo dinamismo com que abraça as causas que contribuem para o bem estar dos residentes, sobretudo idosos e também pela preocupação com o ir criando condições para que os visitantes possam desfrutar em pleno do prazer de poder pernoitar no Rosmaninhal, proporcionando assim, a comodidade de a visita poder ser mais prolongada, proporcionando a satisfação dos visitantes e simultaneamente essa situação poderá no futuro criar perspectivas de um maior desenvolvimento também e até a nível turístico e até comercial.
Parabéns também ao autor do blog, pela sua disponibilidade para manter vivo o interesse pelo Rosmaninhal, divulgando as suas belezas naturais, arqueológicas, as suas tradições e também por divulgar o que de bom e menos bom as entidades com responsabilidades vão fazendo pelo Rosmaninhal.
É com muita expectativa que espero que num qualquer dia, possa percorrer os olhos por algum artigo que refira que tal como em Espanha, Portugal estará a desenvolver um projecto turístico na zona do Tejo Internacional, nomeadamente no Rosmaninhal. Estou certa de que com gente tão empenhada no desenvolvimento da "Nossa Terra" um dia isso será uma realidade e o Rosmaninhal, será ainda tal como o seu hino evoca a"...terra linda onde eu nasci, outra assim igual tão bonita nunca vi…".
Bem hajam.
HL